#EuRecomendo – Usagi Drop, Da Simplicidade à Geniliadade

Sem sangue, pancadaria, romances fantasiosos ou poderes dimensionais, este é Usagi Drop. Produzido pela Production I.G este pequeno coelho surpreendeu por ter uma qualidade incrível mesmo em um enredo simples.

O enredo começa quando Daikichi, de 30 anos de idade e que mora muito bem sozinho, recebe uma ligação de sua família avisando a morte de seu avô. Ao se dirigir ao local do enterro, logo na entrada se depara com a pequena Rin que sai correndo no mesmo instante. Ao conversar com sua mãe Dai descobre que aquela pequena criança é na verdade filha de seu avô, em resumo, sua tia, por este fato não é bem vista pelos familiares e fica claro o desprezo dos mesmos pela menina. Não sabendo o que fazer com ela decidem então coloca-la em um orfanato, para surpresa de todos Daikichi se irrita e chama a menina para morar com ele, que surpreendentemente aceita no mesmo momento. Começa assim a aventura de Rin e Principalmente de Daikichi para viverem juntos.

#Considerações

Como já dito Usagi Drop esbanja simplicidade, sem ápices, mistérios ou reviravolta, deixando o anime com uma originalidade incomparável. Sinceramente não me lembro de ter visto enredo parecido em nada que assisti.
O design me pareceu um tanto estranho (como se tivesse sido desenhado a giz de cera) mas ao encaixado em todo o clima da obra pode deixar muito anime considerado “bonito graficamente” no chão.
Junto a esse belo desenho a trilha sonora não deixa nada a desejar, principalmente o enceramento de Kasarinchu com a musica “High High High” que é simplesmente um encanto (tenho uma pequena queda por essa parte mais infantil apresentada em algumas obras, vide Dango Daikazoku de Clannad).

Em resumo, se você procura algo sem os famosos clichês apresentados em quase toda obra hoje em dia, nosso cara de grande sorte (Dai Kichi – grande sorte) e a meiga Rin concerteza vão te conquistar.

Mata ne!!

Anúncios

#Primeiras Impressões- O MMORPG que pode virar Moda, Sword Art Online!

Yohoooo, hoje venho falar de Sword Art Online que é uma adaptação de Light novel, produzido pela A-1 Pictures e promete ser o grande destaque da temporada.
O enredo inicia em 2022 onde a tecnologia chega a um ponto que é possível jogar MMORPG’s (Massive Multiplayer Online RPG) em realidade virtual. Usando um capacete chamado de NerveGear(algo como, a engrenagem do nervo) que intercepta todas as informações que seu cérebro envia ao corpo é possível recriar todas as sensações e necessidades virtualmente.
SAO (Sword Art Online) um dos jogos mais aclamados desta realidade virtual é finalmente lançado, com um evento inesperado ocorre em seu lançamento, Akihiko Kayaba o criador do jogo, prende todos os players dentro desta realidade virtual e lhes explica que uma morte jogo ou um “game over” resultará na morte também de seu corpo físico, sendo a única escapatória vencer todos os 100 níveis do game. Um numero inigualável de players tentam aceitar sua condição atual, Kirito um jogador experiente que participou do seleto grupo de “BetaTesters” (geralmente alguns jogos online lançam uma versão beta, antes da versão final, que seria um versão para testes, corrigir possíveis erros) se encontra numa nova realidade tendo de tomar decisões e usar toda sua experiência para completar o jogo e principalmente permanecer vivo.

É inegável que SAO é mais do que promissor. Contando o belo design da A-1 Pictures (Ao no Exorcist, Angel Beats! entre outros) e uma trilha sonora particularmente boa, com “Crossing Field” da LiSa (mesma da GirlsDemo Angel Beats!)e Yume Sekai com Tomatsu Haruka, pode facilmente puxar as atenções para si. Quanto aos personagens, até o momento tivemos uma breve apresentação dos principais e é claro de Kirito, que mesmo como principal ainda é difícil definir uma personalidade para ele. Digo que tivemos “breves apresentações”, pois a meu ver os episódios foram demasiadamente corridos, pulando diretamente para “picos” de enredo e ação deixando detalhes importantes sobre o jogo e da própria trajetória de Kirito de lado.
Porem com o recém-lançado quinto episodio podemos finalmente ter uma ideia a que SAO veio. Como já disse tendo um ritmo de corrido em seus primeiros episódios já se pode notar certa mudança, dessa vez com uma historia um pouco mais longa e talvez mais detalhada.

Considerações finais:
Vale dizer que a maioria dos bons lançamentos hoje em dia vem de light novels (ala Suzumiya Haruhi), infelizmente não cheguei a ler a novelde Sword Art Online (ainda não temos a versão em inglês), mas se olharmos pelo histórico de adaptações que deram certo, as expectativas são melhores ainda.E finalmente por ótimo e não menos importante como comentário pessoal gostaria de dizer que não cheguei a ver a estimativa de episódios, mas seria um pequeno desastre se terminasse aos 12, simplesmente muita informação pra pouco espaço de tempo.
De qualquer forma vale a pena dar uma olhada no que seria a (única) joia dessa temporada.
Até a Proxima!!!

Imagens do Anime