#GeekMachine

YOOOOOOOOOOOOO!!!!

Galera, como prometido, nosso site está pronto então estou desativando o AnimeChoose. Todas as postagens já foram transferidas para lá!!!

Aguardo a visita de vocês para esse nosso novo “episódio”

www.geekmachine.com.br

#JustplayAgain – Happy Wheels

Yo Minna,

Enquanto o site não está pronto dalhe gameplay ;D .

Trazendo hoje o jogo Happy Wheels um joguinho em flash viciante pra…..baralho XD

Por favor se inscrevam, breve parodias rolando no canal.

# JustPlayAgain

Yo minna,

 

Hoje vim trazer o gostinho do que será o site do Anime Chose. Como eu disse anteriormente, breve o blog vai virar um site completo de cultura nerd (não só de animes, mesmo eu entendo bem melhor deles) e terá os conteúdos dos mais variados um deles será o nosso canal voltado para games no Youtube.

Por hoje vou deixar um de meus gameplays, peguem leve por que eu não tenho o costume de “falar para cameras”, maaaaaaaaaaas vai rolar muito conteúdo bacana no canal, então quem puder ajudar se inscrevendo fica meu agradecimento.

 

# Oregairu e a Ascensão dos Solitários

Yo Minna,

Hoje eu vou falar um pouco de um anime que mesmo não tendo chego ao final, merece comentários, e principalmente por ter um dos personagens que é simplesmente um herói para mim, Hachiman Hikigaya.

Yahari Ore no Seishun Rabu Kome wa Machigatteiru ou Oregairu é uma adaptação de light novel, produzido pela Brain’s Base, que por sinal tem feito grandes trabalhos sendo o mesmo estúdio de Durarara!, Tonari no Kaibutsu, Penguim Drum e Kamisama Dolls.

A trama de Oregairu gira em torno de Hachiman Hikigaya um estudante colegial (com olhos de peixe morto ;P), onde logo no primeiro episodio sua “visão de mundo” é claramente exposta quando sua professora pede uma dissertação da vida colegial e ele escreve que a juventude é nada mais que uma farsa e os idiotas que gozam de sua juventude deviam morrer. Preocupada com o garoto e como castigo, sua professora Hiratsuka o integra no clube de voluntários, responsável por atender pedidos de ajuda alheios.Lá ele conhece Yukino Yukinoshita um linda garota responsável pelo clube. Os dois possuem “visões de mundo” diferentes, por isso é iniciado uma “batalha para ver quem esta certo.

Hikigaya – Yukino – Yuigahama

Em meio a esses “pedidos” mais sobre a personalidade dos dois é exposta, no caso da Yukino, mesmo parecendo tão segura ela chega a ser mais solitária que o próprio Hikigaya e por um motivo inimaginável, mas totalmente plausível, ela é incrivelmente sortuda, bonita e inteligente fazendo com que todos se apaixonem por ela. Ao mesmo que parece estranho alguém ser sozinho por isso a explicação dada é completamente plausível, ter uma habilidade ou algo em especial em relação a outras pessoas causa inveja e muitas vezes ódio.

Hikigaya é solitário, e admite isso com orgulho, a exposição dos pensamentos dele passa com clareza a mensagem ” O que há de mal em ser Solitário?”. Não diria que esse é um pensamento errado eu concordo com a maioria dos comentários dele que de certa forma , pelo menos para mim, é uma grande realidade da sociedade e toda sua futilidade. A grande controversa é que na verdade mesmo admitindo ser solitário e na teoria contente com isso, ao longo primeiro episodio e dos subsequentes, nos é mostrado que na verdade ele tentou ser “social” mas os fracassos e os padrões sociais o fizeram mudar de ideia ou “jogaram” ele nesse estado solitário.

Graficamente falando e se comparado as obras anteriores do estúdio, Oregairu não surpreende, me arrisco a dizer que com exceção da ending que tem o melhor design da serie, Oregairu deixa muito a desejar.A Brain’s Base tem um design fabuloso citando principalmente o confuso Penguim Drum, e o maravilhoso filme Hotarubi no Mori e, é até estranho citar essas diferenças se tratando do mesmo estúdio, mas mesmo me baseando em opinião própria acredito que Oregairu esteja atrás em sua composição gráfica.

Também não posso dizer nada quando ao sonoro do anime, visto que quase não o percebi, mas a Opening e Ending não deixam nada a desejar com a musica Yukitoki na opening e ” Hello Alone” (sarcasm?) na ending.

Sendo sincero, quando lí sobre o plot de Oregairu fiquei com o pé atrás, para mim oregairu seria mais um grande clichê, no caso imaginei algo muito semelhante ou exatamente o mesmo de Boku wa Tomodachi ga Sukunai (Hanagai). As duas historias são facilmente comparáveis só que diferente de Hanagai onde os personagens buscam fazer amizades e seu clube é exatamente voltado para isso, Oregairu traz uma visão diferente, trazendo que a mensagem de que não é preciso correr atrás de amigos ou mudar sua maneira de ser apenas para conquista-los , eles naturalmente virão, e até lá que mal faz  ser um tanto solitário?

Oregairu se mostrou forte em uma temporada fraca, é com certeza uma obra a se considerar, ao mesmo que tem seus momentos hilários, ao menos para mim traz uma mensagem séria exposta muito bem.

Lembrando mais uma vez, que são opiniões próprias e pra muita gente eu devo estar escrevendo um monte de besteiras, mas baseado em todo meu conhecimento foi essa minha conclusão.

=D

E o que eu tiro de tudo isso? Somente uma coisa…….EU AMO URSOS!

#A Influencia dos Animes na Minha Vida

Sim! Reuniram mais uma vez as esferas do dragão e aqui estou ;D. Dessa vez sem promessas ou algo do tipo, deu vontade de escrever e dar um pouco de continuidade ao projeto por isso voltei mas me conhecendo bem, vai dar preguiça e eu vou ficar um tempo sem postar de novo só que desta vez estou pensando em aumentar e sair do esquema “blog”, pra isso estou recrutando alguns escravos…digo, amigos para me ajudar, whatever deixemos o futuro no futuro.
Por hoje  deu vontade de escrever, e eu queria contar um pouco de como eu virei um amante da cultura japonesa no geral, se alguem ler até o fim já é uma vitoria

#O Começo de Tudo

É complicado definir um inicio de tudo (ainda mais para um fanático como eu), mas ao que me lembre, eu tinha acabado de comprar um mega hyper computador com 512 mb de memória ram e 80 gb de HD, ainda estava descobrindo o mundo da internet que baixava a incríveis 20 kbs (sugoi ne!?)
Nesse período de descobertas eu descobri que a internet possuía um grande acervo de informações e quase tudo que eu quisesse, incluindo episódios de series etc… Eu procurava por episódios de Medabots (sim isso mesmo!), mas nas buscas eu acabei entrando num site chamado Anime House e nesse site havia um grande acervo de “desenhos” (nem conhecia o termo anime ainda), não sei por que mas me deu vontade de saber mais escolhi um, observando a imagem que mais me chamava atenção e baixei, o anime em questão foi o Onegai Teacher (Já tinha esquecido completamente o Medabots nesse ponto).
No começo foi estranho ver algo em japonês legendado mas quem não iria gostar de uma linda professora alienígena e um garoto que ficou em coma por anos e por isso não envelheceu? O golpe de misericórdia para eu adentrar de vez nesse novo mundo veio dos céus (literalmente).
Um garoto com um bom coração mas com uma estrela de azar sobre ele, um dia faz uma ligação e uma Deusa atende! Esse é Ah! Megami Sama, dessa vez conquistado por uma linda e gentil deusa chamada Belldandy, fiquei completamente vidrado nesse mundo.
Pode se dizer que ao invés de eu ser um bom garoto e tirar boas notas para ganhar presentes de natal eu me comportava e estudava na esperança que uma bela professora alienígena se apaixonasse por mim ou que o telefone tocasse e uma deusa cruzasse meu espelho para conceder um de meus desejos, e por “acidente” eu desejaria que ela ficasse na terra comigo. Após assistir todas as temporadas de Ah! Megami Sama e Onegai Teacher, eu não parei mais.

Alienigenas e Deuses de um jeito que você nunca imaginou

#O Romântico

Depois de ver Megami e Onegai, eu não parei por aí, no começo eu baixava qualquer coisa que estivesse no topo da época, isso além da descoberta que Pokemon, Digimon e Dragon Ball também eram animes (ooooooooH!) , eu passei a ver e gostar de determinados gêneros mais que outros. Não sei se foi por que eu comecei vendo animes de comédia romântica, mas até hoje são esses meus favoritos, peguei uma lista e recomendações de melhores romances e passei a ver um por um, sem discriminação, o que alguém classificava como “romance” eu logo ia atrás e via, pode se dizer que até hoje eu continuo assim, visto que 70% da minha lista de animes é composta por romances, com menções honrosas a obras da Kyoto Animation sendo estes Kanon, Air, Clannad (principalmente Clannad).

Não que eu não veja outros gêneros como shonen(ação, aventura, etc..) por exemplo, mas ao meu ver os shoujos são muito mais encantadores e conseguem te deixar preso por mais tempo que os animes repletos de ação, é raro um anime shonen que mantenha um bom nível do inicio ao fim, alguns começam bem mas esfriam tanto que a historia chega a ficar monótona, são esses os casos de Naruto e Sword Art Online, não que sejam ruins, mas os altos e baixos deles são irritantes.
O que faz comedias românticas e romances em si terem sucesso é que eles fazem que o espectador queira viver aquilo que se passa na historia. Acredito que eu seja suspeito a falar visto que me considero um romântico nato mas venhamos a calhar, quem não gostaria de viver um romance como o de alguma historia de anime, cheia de coisas mirabolantes, deusas, alienígenas, harens, amigas de infância tsundere etc…?
Vale ressaltar que depois eu considerei já ter visto tudo que podia do gênero, eu descobri outro mundo, Doramas e Live Action.

# A Descoberta da Musica

Na época eu não era tão fã de musica, mas com os animes foi diferente, cada abertura e encerramento era como ver um clipe de uma banda (ah vá!), uns eram animadores e combinavam perfeitamente com a animação, outros nem tanto.Posso dizer que a cantora que me trouxe e me abriu os olhos para a musica japonesa foi a rainha do Pop Rock (J-pop rock?) Yui, como se não bastasse fazer sucesso com “Rolling Star” a incrível 5ª abertura de Bleach ela também vinha com a musica “Life” no enceramento da mesma temporada. Era a primeira vez que eu ia atrás de musicas de animes e me aprofundava em quem estava cantando e sempre procurava ouvir mais de suas musicas. Aquele também era o inicio da minha sede de saber mais sobre a questão técnica dos animes, desde produção, trilha sonora, etc…
Hoje posso dizer que as musicas que mais ouço vem da terra do sol nascente, e não só anisongs, procuro me informar sempre das novas bandas, singles, e o que esta no top das paradas por lá.

#Juntando Amigos

Não sei se naquela época a cultura otaku era tão underground assim, mas era difícil encontrar alguém com os mesmos gostos, e na maioria das vezes se quisesse alguém para comentar o quanto tal episodio de determinado anime era bom, o jeito era usar a internet.
Nesse ponto pode se dizer que os fóruns supriram bem essa necessidade, era animador ver alguém comentar algo que continha as mesmas ideias que você. Acredite se quiser, foi em meio a conversas e postagens em fóruns que eu descobri algo que mais tarde eu me especializaria, explico, há um bom tempo que não frequento esse mundo, creio que ainda deva ser igual mas no final de cada postagem havia a possibilidade de você escrever algo ou colocar uma imagem de sua preferência, haviam até concursos de quem tinha a melhor “assinatura”, é obvio que a questão estética causava uma certa competitividade visto que um queria ter uma assinatura mais “legal” que outro, seguindo essa onda foi aí que descobri o mundo mágico do Photoshop e as maravilhas da edição de imagem, em meio a tutoriais e tutoriais para criar efeitos em assinaturas, eu fui melhorando e criando meus próprios efeitos, hoje em dia edição de imagem é algo que faço diariamente. Uma vez li uma frase que dizia:

           “Os tutoriais do Photoshop que você leu não te torna um expert”

Olha, não sei se foi só comigo, mas eu vi tanto tutorial e “fucei” tanto, que aprendi a mexer ferramenta por ferramenta, combinação de efeito por combinação de efeito e hoje consigo me orgulhar em dizer que trabalho com isso e sou bom no que faço, pode até ser que hajam meios melhores de usar as ferramentas, mas vejo pessoas cursadas no software que não conseguem / não sabem fazer metade do que faço e nem no mesmo tempo que faço. Se você é daqueles que acha que pode aprender qualquer coisa sozinho só tenho algo a dizer…
Vá em frente que você consegue!!!

# De Consumidor a Colaborador

Depois de adquirir uma certa habilidade com edição de imagens eu passei a expandir meus horizontes, eu tinha habilidade  queria usar, assim eu passei a procurar sites e relacionados a cultura japonesa onde eu poderia usar o que eu “arduamente” aprendi depois de fazer tantas assinaturas para fóruns. Minha primeira chance veio num teste realizado pela antiga StrawHat Scan, na época um dos responsáveis me deu umas dicas bem úteis. Alguns trabalhos como editor, news editor e até mesmo radialista no mundo dos animes e finalmente dei um passo a frente, se eu sabia fazer as edições de scanlator, conseguia fazer reencodes muito bem, e tinha uma internet considerável para uploads por que não começar algo meu? Depois de devorar algumas apostilas e tutoriais de HTML e Flash nasceu o AnimeChose.

O Achose era um site de distribuição de animes e meu Scanlator (Apesar de como scanlator eu ter lançado somente Tsubasa Reservoir Chronicle e Yakuza Girl), eu tinha um numero considerável de series que havia feito o reencode e upload, apesar de fazer tudo sozinho, visto que eu não conhecia ninguém com os mesmos gostos e que eu pudesse confiar, ter o site foi fantástico, mesmo com poucas visualizações diárias eu esperava chegar a ser o melhor site de distribuição brasileiro.

A bomba veio um tempo depois, o servidor que eu havia feito a hospedagem do site faliu, e sem mais nem menos tudo saiu do ar (como eu disse, foi meu primeiro site e o servidor foi o mais chinfrin e barato que encontrei). De um lado meu orgulho e a vontade de ter um projeto reconhecido, do outro minha preguiça inigualável e o fato de que alem de ter que reconstruir o site eu era uma criança bancada pelos pais, pedir uma nova “verba” depois do servidor ter me passado a perna não seria nada fácil, aí eu coloquei os pés no chão e decidi deixar de lado por enquanto a ideia do site. Mas o que fazer com as dezenas de episódios que eu sozinho encodei e fiz upload? “De fãs para fãs”, com isso em mente e já que eu não usaria mais os arquivos por que não doar os links para outro site?

SS de quando lancei o site (Que windows Media Player é aquele?)

# AnimeHouse

Não deu outra, se eu iria doar os links era obvio que teria que ser para um site que eu me espelhei ao criar o meu e ainda por cima foi o que me fez entrar no mundo Nipponico, no mesmo momento entrei em contato com uma das integrantes da Anime House oferecendo os links, por coincidência ela me disse que breve eles recrutariam uploaders, o que vem a seguir deve ser fácil de entender não é? Participei da seleção e era o mais novo integrante da equipe Anime House . Foi por apenas 1 ano mas foi fantástico participar de um site que eu considerava o melhor e ainda por cima colaborar para a divulgação de animes. Infelizmente o site trocou de administração e na época o novo dono usou algo que eu odeio mas odeio mesmo, sabe aquele maldito link com propagandas que você tinha que esperar por determinados segundos para poder fazer o download de algum episodio? Então eu assim como muitos dos membros antigos saímos.

(Vale a pena comentar que aquilo foi na época, eu entrei de novo no site só pra matar a saudade e parece que eles não usam mais dos malditos links propaganda)

Infelizmente só consegui achar meu avatar da época (era Shin ou Shinikun, não lembro ;P)

# Fansubber
Ainda quando estava na AnHouse! a Otakus Fans um dos fansubs que eu acompanhava, era sempre o primeiro a lançar os animes que eu mais gostava, só que a qualidade das legendas não era lá essas coisas (Falo Mesmo!!) então não sei porque diabos eu me ofereci para revisar, porém acabei me empolgando e aprendi todo o processo de “subagem” e Karaokês, fiz alguns dos karaokês que lançávamos(confesso que eu adorava, sempre fui um perfeccionista, então deixar os timings dos karaokês perfeitos não era problema algum). Depois da AnHouse! participar do fansub foi outra grande experiência, meu maior orgulho foi termos lançado o filme “Summer Wars” antes de todos (com tradução e legendas minhas).

Summer Wars Apresentou uma “Love Machine” nem um pouco amorosa

Depois disso a equipe cresceu o que me fez ficar mais sossegado, então eu comecei a trabalhar e um dos meus maiores defeitos me dominou, a preguiça. Trabalhar, estudar, e legendar tinha se tornado difícil visto que eu sou o maior preguiçoso de todos os tempos, sendo assim eu me desprendi (na verdade sumi) do fansub.

Eu tenho a pior combinação de defeitos possível, ao mesmo que eu sou orgulhoso e quero fazer todo projeto meu ser o numero 1, eu sou preguiçoso e hoje em dia tenho pouco tempo livre, mesmo tendo milhares de projetos em mente, assim como o blog, é difícil tirar do papel.

Quem disse que a Preguiça (Sloth) e o Orgulho (Pride) não andam juntos? (Ba tun tss)

#Conclusão

Então chegamos aos dias de hoje, eu sinceramente só queria escrever minha historia porque pensei que seria interessante compartilhar um pouco de minhas experiências, mas ao escrever e ler tudo percebi algo que não tinha visto antes, animes/mangas, cultura japonesa foram tudo na minha vida;

Porque eu queria ter uma assinatura legal nos foruns de anime e mais tarde por que eu queria espalhar  a cultura, eu descobri minha vocação, Web Design, design gráfico e propaganda, hoje em dia trabalho com tudo isso;

Pode parecer estranho, mas muitas das minhas filosofias e até mesmo parte do meu caráter se deve por eu ter visto tanto anime, com os mais variados temas. Analise bem, crianças são facilmente influenciadas principalmente por algo que gostam, eu cresci vendo animes dizerem o quanto os amigos são importantes, nunca desistir, ver romances tão lindos que te fazem chorar, historias tão tristes que te forçam a ver a vida com olhos diferentes e valorizar certas coisas, além de outros que transmitem verdadeiras filosofias de vida como Fruits Basket, e Clannad After . Ou você vai me dizer que nunca quis viver em uma fantasiosa historia de anime, ser um grande pirata ou fazer um grande Slam Dunk jogando basquete?

Tem gente que me pergunta por que eu gosto tanto da cultura japonesa, o que tem de tão bom nos animes e por que eu me esforço tanto para fazer os outros também gostarem, a reposta é simples…Eu não sei!!!  Acho que a cada momento eu descubro um novo motivo pra continuar atento a cultura japonesa.

Então á esse maravilhoso mundo tão rico em cultura, um grande obrigado!

#Futuro

O blog é minha valvula de escape, quando tenho vontade de escrever é pra cá que venho, mas meu amor pela cultura japonesa e a vontade de espalhar essa cultura no Brasil, (olha meu orgulho aí) não morreu, dito isto em pouco mais de um mês vou aposentar o blog e no lugar vai entrar um site de noticias, analises, matérias especiais etc… que vão desde animes e mangas, a musica e cultura em si. E por que eu acho que vai dar certo dessa vez? Simples, pelo fato que estou animado e dessa vez não estou sozinho.

É isso galera, essa matéria foi simples e puramente por que queria expor meu amor pela cultura japonesa, em especifico os animes, e toda influencia que teve em minha vida. Ficou maior que eu esperava mas para quem leu até aqui, um grande obrigado e aguardem novidades.

Mata ne!

Links:

http://www.animehouse.net/

http://otakusfans.com/

#EuRecomendo – Usagi Drop, Da Simplicidade à Geniliadade

Sem sangue, pancadaria, romances fantasiosos ou poderes dimensionais, este é Usagi Drop. Produzido pela Production I.G este pequeno coelho surpreendeu por ter uma qualidade incrível mesmo em um enredo simples.

O enredo começa quando Daikichi, de 30 anos de idade e que mora muito bem sozinho, recebe uma ligação de sua família avisando a morte de seu avô. Ao se dirigir ao local do enterro, logo na entrada se depara com a pequena Rin que sai correndo no mesmo instante. Ao conversar com sua mãe Dai descobre que aquela pequena criança é na verdade filha de seu avô, em resumo, sua tia, por este fato não é bem vista pelos familiares e fica claro o desprezo dos mesmos pela menina. Não sabendo o que fazer com ela decidem então coloca-la em um orfanato, para surpresa de todos Daikichi se irrita e chama a menina para morar com ele, que surpreendentemente aceita no mesmo momento. Começa assim a aventura de Rin e Principalmente de Daikichi para viverem juntos.

#Considerações

Como já dito Usagi Drop esbanja simplicidade, sem ápices, mistérios ou reviravolta, deixando o anime com uma originalidade incomparável. Sinceramente não me lembro de ter visto enredo parecido em nada que assisti.
O design me pareceu um tanto estranho (como se tivesse sido desenhado a giz de cera) mas ao encaixado em todo o clima da obra pode deixar muito anime considerado “bonito graficamente” no chão.
Junto a esse belo desenho a trilha sonora não deixa nada a desejar, principalmente o enceramento de Kasarinchu com a musica “High High High” que é simplesmente um encanto (tenho uma pequena queda por essa parte mais infantil apresentada em algumas obras, vide Dango Daikazoku de Clannad).

Em resumo, se você procura algo sem os famosos clichês apresentados em quase toda obra hoje em dia, nosso cara de grande sorte (Dai Kichi – grande sorte) e a meiga Rin concerteza vão te conquistar.

Mata ne!!

#Primeiras Impressões- O MMORPG que pode virar Moda, Sword Art Online!

Yohoooo, hoje venho falar de Sword Art Online que é uma adaptação de Light novel, produzido pela A-1 Pictures e promete ser o grande destaque da temporada.
O enredo inicia em 2022 onde a tecnologia chega a um ponto que é possível jogar MMORPG’s (Massive Multiplayer Online RPG) em realidade virtual. Usando um capacete chamado de NerveGear(algo como, a engrenagem do nervo) que intercepta todas as informações que seu cérebro envia ao corpo é possível recriar todas as sensações e necessidades virtualmente.
SAO (Sword Art Online) um dos jogos mais aclamados desta realidade virtual é finalmente lançado, com um evento inesperado ocorre em seu lançamento, Akihiko Kayaba o criador do jogo, prende todos os players dentro desta realidade virtual e lhes explica que uma morte jogo ou um “game over” resultará na morte também de seu corpo físico, sendo a única escapatória vencer todos os 100 níveis do game. Um numero inigualável de players tentam aceitar sua condição atual, Kirito um jogador experiente que participou do seleto grupo de “BetaTesters” (geralmente alguns jogos online lançam uma versão beta, antes da versão final, que seria um versão para testes, corrigir possíveis erros) se encontra numa nova realidade tendo de tomar decisões e usar toda sua experiência para completar o jogo e principalmente permanecer vivo.

É inegável que SAO é mais do que promissor. Contando o belo design da A-1 Pictures (Ao no Exorcist, Angel Beats! entre outros) e uma trilha sonora particularmente boa, com “Crossing Field” da LiSa (mesma da GirlsDemo Angel Beats!)e Yume Sekai com Tomatsu Haruka, pode facilmente puxar as atenções para si. Quanto aos personagens, até o momento tivemos uma breve apresentação dos principais e é claro de Kirito, que mesmo como principal ainda é difícil definir uma personalidade para ele. Digo que tivemos “breves apresentações”, pois a meu ver os episódios foram demasiadamente corridos, pulando diretamente para “picos” de enredo e ação deixando detalhes importantes sobre o jogo e da própria trajetória de Kirito de lado.
Porem com o recém-lançado quinto episodio podemos finalmente ter uma ideia a que SAO veio. Como já disse tendo um ritmo de corrido em seus primeiros episódios já se pode notar certa mudança, dessa vez com uma historia um pouco mais longa e talvez mais detalhada.

Considerações finais:
Vale dizer que a maioria dos bons lançamentos hoje em dia vem de light novels (ala Suzumiya Haruhi), infelizmente não cheguei a ler a novelde Sword Art Online (ainda não temos a versão em inglês), mas se olharmos pelo histórico de adaptações que deram certo, as expectativas são melhores ainda.E finalmente por ótimo e não menos importante como comentário pessoal gostaria de dizer que não cheguei a ver a estimativa de episódios, mas seria um pequeno desastre se terminasse aos 12, simplesmente muita informação pra pouco espaço de tempo.
De qualquer forma vale a pena dar uma olhada no que seria a (única) joia dessa temporada.
Até a Proxima!!!

Imagens do Anime



Clannad ****<3

Yoo!!! Depois de decadas sem postagens eis me aqui para falar de minha obra favorita, Clannad. No meu vasto “currículo” de animes não houve outro que me cativou tanto quanto essa, já assisti e reassisti tantas vezes que perdi a conta, digamos que eu saiba cada fala com precisão principalmente do primeiro episodio.

Clannad é uma adaptação de visual novel da produtora Key, e como de costume em adaptações é dividida em arcos.
Okazaki Tomoya é um Yankee (delinquente) que vive se metendo em confusão e matando aulas, ele ficou dessa forma depois de sua mãe morrer e seu pai se entregar as bebibas, chegando a tal ponto que ele e o próprio pai não se considerarem mais membros da própria família.

Um dia a caminho da escola ele encontra uma garota falando sozinha e em um desses monólogos Okazaki responde a uma das perguntas, ele então conhece Furukawa Nagisa (minha santa deusa da fofura), uma garota introvertida com dificuldade de fazer amigos e com o objetivo de reabrir o clube de teatro para interpretar uma peça de uma historia que ouviu a tempos. Pra surpresa dele mesmo, decide ajuda-la mesmo não tendo afinidade com trabalhos em grupo ou clubes.

Como disse antes o anime se divide em arcos então é obvio que ao longo da historia somos apresentados ao resto dos personagens, em sua maioria personagens femininas mas com personalidades bem únicas.
Começamos com Sunohara, melhor amigo de Okazaki e ocasionalmente perturbado por todos, posso dizer com toda certeza que as melhores risadas do anime são provocadas por ele; temos então as gêmeas Kyo e Ryo, Kyo a mais velha pronta pra acabar com a raça de qualquer um que se aproxime da irmã que por sua vez é totalmente oposta sendo calma e tímida (como dito no próprio anime “A brutamontes e o hamster”); Kotomi a estranha gênio em uma busca por terminar a pesquisa dos pais; Tomoyo como Kyo uma verdadeira brutamontes conhecida por acabar com gangues inteiras na cidade e finalmente Ibiki Fuko a misteriosa garota quês esculpi estrelas do mar (sim!! estrelas do mar).

A historia e seu desenvolvimento é ótimo, concordo que alguns arcos mereciam melhor atenção e outros um pouco menos, mas isso não deixa o charme e principalmente o carisma de Clannad cair em nenhum momento.
Não sei se deveria cita-lo mas em alguns episódios em sua parte inicial é nos apresentado uma historia paralela onde é contada a vida de uma única garota em um mundo que se acabou, sendo ela o ultimo ser em todo o mundo (ou quase), vale ressaltar que essa é a mesma historia que nossa heroína Nagisa quer interpretar em seu teatro, digo mais para os que pretendem assistir Clannad recomendo dar atenção a essa historia pois se torna de grande importância mesmo não parecendo (isso alem da historia ser no mínimo intrigante)
Quando ao design, como na maioria das obras produzidas pela Kyoto Animation, Clannad não falha em nada tanto nos personagens quanto no jogo de cores em cada episodio que é de se encher os olhos.
A trilha sonora mesmo simplista acredito ser perfeitamente apropriada para todo o clima do anime, com destaque para o encerramento que é infantil, simples, mas impressionantemente cativante.
Como eu disse Clannad é minha obra favorita por esse motivo eu recomendo muito tanto ela quanto outras obras/adaptações da Key(Air e Kanon) que merecem o mesmo mérito.
A Biglobe montou um rankin onde cerca de 7000 japoneses votaram nos animes que pela sua importância qualquer otaku deve ver ao longo da sua vida. Segue Link para noticas
http://www.otakupt.com/anime/top-animes-imperdiveis/

#EuRecomendo Byousoku 5 Centimeter

Bem hoje vou falar de uma das minhas obras favoritas Byousoku 5 Centimeter, então vamos lá.

Byousoku é dividido em 3 atos, sendo que cada um deles mostra uma época diferente, local e por que não os sentimentos dos protagonistas, Takaki Tohno e Akari Shinohara. Começamos na primavera mais especificamente na cidade de Tokyo onde Takaki e Akari (não lembro idade exata, mas creio que os dois estejam entrando na adolescência) vêem as flores de cerejeira cair, ao ver este lindo fenômeno Akari comenta que a velocidade que as folhas caem é de 5 cm por segundo, os dois então decidem que dentro de 1 ano iriam se reunir para ver as flores de cerejeira caírem de novo.

A partir daí a promessa de se reunirem para ver as flores de cerejeira fica cada vez mais difícil, pois Akari se muda para Tochigi, fato que acaba com Takaki, pois ao menos ao que pareceu pra mim os dois eram de poucos amigos (ou até pelo fato de gostarem de atividades mais calmas), descobriram um no outro semelhanças e se aproximaram cada vez mais, aproximação interrompida por essa mudança de Akari.

Logo após temos o que acontece com Takaki (Nesses 3 capítulos Akari é tratada……como posso dizer……como o foco da coisa toda.)

Resumindo

No primeiro capitulo temos a grande aventura e dificuldade que Takaki enfrenta para cumprir a promessa do encontro em um ano. Falando um pouco sobre design, o primeiro capitulo é um dos que tem as melhores cenas e é aí que vemos a genialidade de Makoto Shinkai, onde cada cena é de se encher os olhos, absurdamente detalhadas e pra época, com qualidade fantástica desde seus traços até efeitos de iluminação, creio que mesmo hoje em dia depois de 4 anos o design bate muito anime por ai e em combo com essa maravilha que é a animação temos a trilha sonora feita por Tenmon que já trabalhou com Shinkai e, outras obras …..E se a animação ficou fantástica a trilha sonora não poderia ter caído em melhores mão. As obras de Makoto Shinkai são minhas favoritas em quesito trilha sonoras justamente pelo fato de na maior parte delas (Acho que todas… não me recordo -.-‘) terem sido entregues a Tenmon.

Cena da Obra

Voltando… Temos então o segundo capitulo onde Takaki já é adolescente, vivendo em Kagoshima e ainda com sua mente focada em Akari e de certa forma tentando manter contato…mas sem saber se deveria ou não contatá-la.. Já nesse capitulo temos o foco em outra personagem, Kanae Sumida, que se apaixona pelo rapaz e tenta de todo modo se aproximar, paixão fadada ao insucesso, pois mesmo ela, inconscientemente, percebe que existe outra no coração dele.

E finalmente o terceiro capitulo, mostra o que houve com os dois (Takaki e Akari) já na vida adulta.

Se fosse colocar em que aspecto os “5 cm” separam os dois em cada episodio, seria:

No primeiro a separação física

No segundo a separação Emocional

Já o que é mostrado no terceiro, é pra muitos algo que não cumpriu seu papel e talvez não tenha….”Honrado” os dois episódios anteriores…….

Explicando:

O primeiro em meu ver é de longe o melhor de todos de alguma forma gostei da “batalha” de Takaki para cumprir a promessa, e o capitulo segue num ritmo perfeito, onde é possível acompanhar todos os fatos na maior clareza, nem lento nem acelerado… Perfeito.

O segundo mostra a difícil luta de Sumida para tentar conquistar Takaki… Mas os sentimentos que o garoto nutre por Akari não o permitem relacionamentos mais afetivos….

E finalmente o terceiro onde é mostrada a fase adulta, mas…(este é nosso porem) é mostrado nesse capitulo uma breve “previa” da vida dos dois e continua com flashes do que ocorreu nesse meio tempo e as pessoas em volta de ambos.

Ok mesmo eu esperava algo mais majestoso… Ou ao menos mais detalhado no quesito historia, já que a obra foi tão perfeita em seu “ritmo” nos capítulos anteriores… Mas ainda assim nesses flashes a musica ao fundo foi o encaixe necessário para fechar com chave de ouro, ao decorrer dos flashes a musica One More Time, One More Chance, cantada por Masayoshi Yamazaki consegue retratar bem o que os dois sentiram ao decorrer dos anos.

Considerações Finais:

Byousoku 5 Centimeter obra certa pra quem adora o “romantismo” (como esse que vos escreve -.-‘), pois amar alguém por tanto tempo é algo considerado por mim fantástico mais ainda pela idade em que esse amor começou e , mesmo com a “opção” de começar um novo amor se manter preso aos sentimentos…isso é claro que esse amor é valido desde que se trabalhe por esse amor e que se tome iniciativas por ele.

Romântica e principalmente realista, pois o desfecho para o romance foi nada mais nada menos que… Realista (contar mais que isso seria dizer o fim para vocês…. isso é, se eu já não disse -.-‘)

No mais Byousoku 5 Centimeter é fantástico assim como outras obras de Makoto Shinkai a qual sou muito fã (ei de comentar elas aqui), tanto em historia, design (*o*) e trilha sonora…simplesmente não peca em nada (ou quase).

Vocês podem baixar os capítulos pelo Eternal Animes Fansub grupo pela qual tenho muito respeito e fazem um trabalho sensacional……
É isso, pra próximos posts continuo com meus favoritos e esse foi o #EuRecomendo….

Ano Natsu Matteru # Primeira Impressão

Yo!!!

Pra começar bem com o Blog resolvi postar as minhas primeiras impressões sobre o Anime “ Ano Natsu Matteru.

Antes de tudo devo ressaltar que Ano Natsu conta com a colaboração entre Yousuke Kuroda o criador de Onegai Teacher e Honey e Clover e Tatsuyuki Nagai o criador de Toradora! e AnoHana, fato que por si só já faz o anime merecedor de ser assistido.

Ano Natsu começa com um monologo de nosso protagonista, Kirishima Kaito, enquanto testa sua nova filmadora em cima de uma ponte, até o momento que vê um objeto cair do céu e num grande clarão é arremessando de cima da ponte, Kaito acorda na manhã seguinte sem lembranças do ocorrido (Kaito mora sozinho com sua irmã mais velha, Kirishima Nanami). Na escola Kaito se interessa por uma linda garota de cabelos vermelhos recém chegada, Takatsuki Ichika, ao perceber o interesse, o galanteador Ishigaki Tetsurou, amigo de Kaito, dá um jeito de aproximar os dois usando como desculpa o sonho de Kaito de gravar de um filme, onde é claro ela participaria, incrivelmente ela aceita ao mesmo sua colega de classe Yamano Remon juntamente a outras duas colegas de Kaito,  Kitahara Mio e Tanigawa Kanna também decidem participar do filme.

A desenvoltura do episodio chega a ser acelerada, mas nem por isso confusa, já nesse primeiro episodio a serie deixa bem explicito a que veio, isso sem contar seu belo design que não deixa nada a desejar.

Sem mais delongas ((Pode Conter Spoiller)) quando fiquei sabendo da serie e do combo maravilhoso dos produtores esperava algo mais parecido com “AnoHana” ( o titulo da serie e o autor dão essa falsa impressão), qual for minha surpresa em momentos do episodio parecer estar revendo Onegai Teacher, nesse momento você deve estar pensando “Quanto exagero, um clichezinho ou outro vemos em toda serie”. Ok um monologo, um objeto cai do céu, a perda de memória do protagonista e uma beldade recém chegada, não é o bastante? E que tal uma Lolita misteriosa?

Morino Ichigo: Onegai teacher

 X

Yamano Remon: Ano Natsu

-“Ta bom, Ta bom, mas lolitas são mais comuns que Tsunderes hoje em dia” – Sem sombra de duvida, mas….. alguém se Lembra da Marie?

Marie: Onegai Teacher

X

Yno: Ano Natsu

– “Ok Me convenceu, isso quer dizer que não devo assistir a serie?”- Muito pelo contrario apesar de todas essas referencias a Onegai Teacher, não acho que seja o fim para Ano Natsu, creio que até por a desenvoltura deste primeiro episodio tenha sido do jeito que foi que continuarei a assistir firme e forte, a sensação de nostalgia ao ver o episodio não me deixou nem um pouco desconfortável, tanto por que Onegai foi um marco pra mim, ele deu inicio a “Minha Vida Otaku” propriamente dita sendo o primeiro anime que baixei e assisti inteiramente no computador. No mais Ano Natsu promete ser uma das melhores series da temporada continuarei a assistir e postarei meus relatos aqui. ^ . ^

Imagens do Anime:


Proxima postagem provavelmente primeiro projeto como Fansub :B