#A Influencia dos Animes na Minha Vida

Sim! Reuniram mais uma vez as esferas do dragão e aqui estou ;D. Dessa vez sem promessas ou algo do tipo, deu vontade de escrever e dar um pouco de continuidade ao projeto por isso voltei mas me conhecendo bem, vai dar preguiça e eu vou ficar um tempo sem postar de novo só que desta vez estou pensando em aumentar e sair do esquema “blog”, pra isso estou recrutando alguns escravos…digo, amigos para me ajudar, whatever deixemos o futuro no futuro.
Por hoje  deu vontade de escrever, e eu queria contar um pouco de como eu virei um amante da cultura japonesa no geral, se alguem ler até o fim já é uma vitoria

#O Começo de Tudo

É complicado definir um inicio de tudo (ainda mais para um fanático como eu), mas ao que me lembre, eu tinha acabado de comprar um mega hyper computador com 512 mb de memória ram e 80 gb de HD, ainda estava descobrindo o mundo da internet que baixava a incríveis 20 kbs (sugoi ne!?)
Nesse período de descobertas eu descobri que a internet possuía um grande acervo de informações e quase tudo que eu quisesse, incluindo episódios de series etc… Eu procurava por episódios de Medabots (sim isso mesmo!), mas nas buscas eu acabei entrando num site chamado Anime House e nesse site havia um grande acervo de “desenhos” (nem conhecia o termo anime ainda), não sei por que mas me deu vontade de saber mais escolhi um, observando a imagem que mais me chamava atenção e baixei, o anime em questão foi o Onegai Teacher (Já tinha esquecido completamente o Medabots nesse ponto).
No começo foi estranho ver algo em japonês legendado mas quem não iria gostar de uma linda professora alienígena e um garoto que ficou em coma por anos e por isso não envelheceu? O golpe de misericórdia para eu adentrar de vez nesse novo mundo veio dos céus (literalmente).
Um garoto com um bom coração mas com uma estrela de azar sobre ele, um dia faz uma ligação e uma Deusa atende! Esse é Ah! Megami Sama, dessa vez conquistado por uma linda e gentil deusa chamada Belldandy, fiquei completamente vidrado nesse mundo.
Pode se dizer que ao invés de eu ser um bom garoto e tirar boas notas para ganhar presentes de natal eu me comportava e estudava na esperança que uma bela professora alienígena se apaixonasse por mim ou que o telefone tocasse e uma deusa cruzasse meu espelho para conceder um de meus desejos, e por “acidente” eu desejaria que ela ficasse na terra comigo. Após assistir todas as temporadas de Ah! Megami Sama e Onegai Teacher, eu não parei mais.

Alienigenas e Deuses de um jeito que você nunca imaginou

#O Romântico

Depois de ver Megami e Onegai, eu não parei por aí, no começo eu baixava qualquer coisa que estivesse no topo da época, isso além da descoberta que Pokemon, Digimon e Dragon Ball também eram animes (ooooooooH!) , eu passei a ver e gostar de determinados gêneros mais que outros. Não sei se foi por que eu comecei vendo animes de comédia romântica, mas até hoje são esses meus favoritos, peguei uma lista e recomendações de melhores romances e passei a ver um por um, sem discriminação, o que alguém classificava como “romance” eu logo ia atrás e via, pode se dizer que até hoje eu continuo assim, visto que 70% da minha lista de animes é composta por romances, com menções honrosas a obras da Kyoto Animation sendo estes Kanon, Air, Clannad (principalmente Clannad).

Não que eu não veja outros gêneros como shonen(ação, aventura, etc..) por exemplo, mas ao meu ver os shoujos são muito mais encantadores e conseguem te deixar preso por mais tempo que os animes repletos de ação, é raro um anime shonen que mantenha um bom nível do inicio ao fim, alguns começam bem mas esfriam tanto que a historia chega a ficar monótona, são esses os casos de Naruto e Sword Art Online, não que sejam ruins, mas os altos e baixos deles são irritantes.
O que faz comedias românticas e romances em si terem sucesso é que eles fazem que o espectador queira viver aquilo que se passa na historia. Acredito que eu seja suspeito a falar visto que me considero um romântico nato mas venhamos a calhar, quem não gostaria de viver um romance como o de alguma historia de anime, cheia de coisas mirabolantes, deusas, alienígenas, harens, amigas de infância tsundere etc…?
Vale ressaltar que depois eu considerei já ter visto tudo que podia do gênero, eu descobri outro mundo, Doramas e Live Action.

# A Descoberta da Musica

Na época eu não era tão fã de musica, mas com os animes foi diferente, cada abertura e encerramento era como ver um clipe de uma banda (ah vá!), uns eram animadores e combinavam perfeitamente com a animação, outros nem tanto.Posso dizer que a cantora que me trouxe e me abriu os olhos para a musica japonesa foi a rainha do Pop Rock (J-pop rock?) Yui, como se não bastasse fazer sucesso com “Rolling Star” a incrível 5ª abertura de Bleach ela também vinha com a musica “Life” no enceramento da mesma temporada. Era a primeira vez que eu ia atrás de musicas de animes e me aprofundava em quem estava cantando e sempre procurava ouvir mais de suas musicas. Aquele também era o inicio da minha sede de saber mais sobre a questão técnica dos animes, desde produção, trilha sonora, etc…
Hoje posso dizer que as musicas que mais ouço vem da terra do sol nascente, e não só anisongs, procuro me informar sempre das novas bandas, singles, e o que esta no top das paradas por lá.

#Juntando Amigos

Não sei se naquela época a cultura otaku era tão underground assim, mas era difícil encontrar alguém com os mesmos gostos, e na maioria das vezes se quisesse alguém para comentar o quanto tal episodio de determinado anime era bom, o jeito era usar a internet.
Nesse ponto pode se dizer que os fóruns supriram bem essa necessidade, era animador ver alguém comentar algo que continha as mesmas ideias que você. Acredite se quiser, foi em meio a conversas e postagens em fóruns que eu descobri algo que mais tarde eu me especializaria, explico, há um bom tempo que não frequento esse mundo, creio que ainda deva ser igual mas no final de cada postagem havia a possibilidade de você escrever algo ou colocar uma imagem de sua preferência, haviam até concursos de quem tinha a melhor “assinatura”, é obvio que a questão estética causava uma certa competitividade visto que um queria ter uma assinatura mais “legal” que outro, seguindo essa onda foi aí que descobri o mundo mágico do Photoshop e as maravilhas da edição de imagem, em meio a tutoriais e tutoriais para criar efeitos em assinaturas, eu fui melhorando e criando meus próprios efeitos, hoje em dia edição de imagem é algo que faço diariamente. Uma vez li uma frase que dizia:

           “Os tutoriais do Photoshop que você leu não te torna um expert”

Olha, não sei se foi só comigo, mas eu vi tanto tutorial e “fucei” tanto, que aprendi a mexer ferramenta por ferramenta, combinação de efeito por combinação de efeito e hoje consigo me orgulhar em dizer que trabalho com isso e sou bom no que faço, pode até ser que hajam meios melhores de usar as ferramentas, mas vejo pessoas cursadas no software que não conseguem / não sabem fazer metade do que faço e nem no mesmo tempo que faço. Se você é daqueles que acha que pode aprender qualquer coisa sozinho só tenho algo a dizer…
Vá em frente que você consegue!!!

# De Consumidor a Colaborador

Depois de adquirir uma certa habilidade com edição de imagens eu passei a expandir meus horizontes, eu tinha habilidade  queria usar, assim eu passei a procurar sites e relacionados a cultura japonesa onde eu poderia usar o que eu “arduamente” aprendi depois de fazer tantas assinaturas para fóruns. Minha primeira chance veio num teste realizado pela antiga StrawHat Scan, na época um dos responsáveis me deu umas dicas bem úteis. Alguns trabalhos como editor, news editor e até mesmo radialista no mundo dos animes e finalmente dei um passo a frente, se eu sabia fazer as edições de scanlator, conseguia fazer reencodes muito bem, e tinha uma internet considerável para uploads por que não começar algo meu? Depois de devorar algumas apostilas e tutoriais de HTML e Flash nasceu o AnimeChose.

O Achose era um site de distribuição de animes e meu Scanlator (Apesar de como scanlator eu ter lançado somente Tsubasa Reservoir Chronicle e Yakuza Girl), eu tinha um numero considerável de series que havia feito o reencode e upload, apesar de fazer tudo sozinho, visto que eu não conhecia ninguém com os mesmos gostos e que eu pudesse confiar, ter o site foi fantástico, mesmo com poucas visualizações diárias eu esperava chegar a ser o melhor site de distribuição brasileiro.

A bomba veio um tempo depois, o servidor que eu havia feito a hospedagem do site faliu, e sem mais nem menos tudo saiu do ar (como eu disse, foi meu primeiro site e o servidor foi o mais chinfrin e barato que encontrei). De um lado meu orgulho e a vontade de ter um projeto reconhecido, do outro minha preguiça inigualável e o fato de que alem de ter que reconstruir o site eu era uma criança bancada pelos pais, pedir uma nova “verba” depois do servidor ter me passado a perna não seria nada fácil, aí eu coloquei os pés no chão e decidi deixar de lado por enquanto a ideia do site. Mas o que fazer com as dezenas de episódios que eu sozinho encodei e fiz upload? “De fãs para fãs”, com isso em mente e já que eu não usaria mais os arquivos por que não doar os links para outro site?

SS de quando lancei o site (Que windows Media Player é aquele?)

# AnimeHouse

Não deu outra, se eu iria doar os links era obvio que teria que ser para um site que eu me espelhei ao criar o meu e ainda por cima foi o que me fez entrar no mundo Nipponico, no mesmo momento entrei em contato com uma das integrantes da Anime House oferecendo os links, por coincidência ela me disse que breve eles recrutariam uploaders, o que vem a seguir deve ser fácil de entender não é? Participei da seleção e era o mais novo integrante da equipe Anime House . Foi por apenas 1 ano mas foi fantástico participar de um site que eu considerava o melhor e ainda por cima colaborar para a divulgação de animes. Infelizmente o site trocou de administração e na época o novo dono usou algo que eu odeio mas odeio mesmo, sabe aquele maldito link com propagandas que você tinha que esperar por determinados segundos para poder fazer o download de algum episodio? Então eu assim como muitos dos membros antigos saímos.

(Vale a pena comentar que aquilo foi na época, eu entrei de novo no site só pra matar a saudade e parece que eles não usam mais dos malditos links propaganda)

Infelizmente só consegui achar meu avatar da época (era Shin ou Shinikun, não lembro ;P)

# Fansubber
Ainda quando estava na AnHouse! a Otakus Fans um dos fansubs que eu acompanhava, era sempre o primeiro a lançar os animes que eu mais gostava, só que a qualidade das legendas não era lá essas coisas (Falo Mesmo!!) então não sei porque diabos eu me ofereci para revisar, porém acabei me empolgando e aprendi todo o processo de “subagem” e Karaokês, fiz alguns dos karaokês que lançávamos(confesso que eu adorava, sempre fui um perfeccionista, então deixar os timings dos karaokês perfeitos não era problema algum). Depois da AnHouse! participar do fansub foi outra grande experiência, meu maior orgulho foi termos lançado o filme “Summer Wars” antes de todos (com tradução e legendas minhas).

Summer Wars Apresentou uma “Love Machine” nem um pouco amorosa

Depois disso a equipe cresceu o que me fez ficar mais sossegado, então eu comecei a trabalhar e um dos meus maiores defeitos me dominou, a preguiça. Trabalhar, estudar, e legendar tinha se tornado difícil visto que eu sou o maior preguiçoso de todos os tempos, sendo assim eu me desprendi (na verdade sumi) do fansub.

Eu tenho a pior combinação de defeitos possível, ao mesmo que eu sou orgulhoso e quero fazer todo projeto meu ser o numero 1, eu sou preguiçoso e hoje em dia tenho pouco tempo livre, mesmo tendo milhares de projetos em mente, assim como o blog, é difícil tirar do papel.

Quem disse que a Preguiça (Sloth) e o Orgulho (Pride) não andam juntos? (Ba tun tss)

#Conclusão

Então chegamos aos dias de hoje, eu sinceramente só queria escrever minha historia porque pensei que seria interessante compartilhar um pouco de minhas experiências, mas ao escrever e ler tudo percebi algo que não tinha visto antes, animes/mangas, cultura japonesa foram tudo na minha vida;

Porque eu queria ter uma assinatura legal nos foruns de anime e mais tarde por que eu queria espalhar  a cultura, eu descobri minha vocação, Web Design, design gráfico e propaganda, hoje em dia trabalho com tudo isso;

Pode parecer estranho, mas muitas das minhas filosofias e até mesmo parte do meu caráter se deve por eu ter visto tanto anime, com os mais variados temas. Analise bem, crianças são facilmente influenciadas principalmente por algo que gostam, eu cresci vendo animes dizerem o quanto os amigos são importantes, nunca desistir, ver romances tão lindos que te fazem chorar, historias tão tristes que te forçam a ver a vida com olhos diferentes e valorizar certas coisas, além de outros que transmitem verdadeiras filosofias de vida como Fruits Basket, e Clannad After . Ou você vai me dizer que nunca quis viver em uma fantasiosa historia de anime, ser um grande pirata ou fazer um grande Slam Dunk jogando basquete?

Tem gente que me pergunta por que eu gosto tanto da cultura japonesa, o que tem de tão bom nos animes e por que eu me esforço tanto para fazer os outros também gostarem, a reposta é simples…Eu não sei!!!  Acho que a cada momento eu descubro um novo motivo pra continuar atento a cultura japonesa.

Então á esse maravilhoso mundo tão rico em cultura, um grande obrigado!

#Futuro

O blog é minha valvula de escape, quando tenho vontade de escrever é pra cá que venho, mas meu amor pela cultura japonesa e a vontade de espalhar essa cultura no Brasil, (olha meu orgulho aí) não morreu, dito isto em pouco mais de um mês vou aposentar o blog e no lugar vai entrar um site de noticias, analises, matérias especiais etc… que vão desde animes e mangas, a musica e cultura em si. E por que eu acho que vai dar certo dessa vez? Simples, pelo fato que estou animado e dessa vez não estou sozinho.

É isso galera, essa matéria foi simples e puramente por que queria expor meu amor pela cultura japonesa, em especifico os animes, e toda influencia que teve em minha vida. Ficou maior que eu esperava mas para quem leu até aqui, um grande obrigado e aguardem novidades.

Mata ne!

Links:

http://www.animehouse.net/

http://otakusfans.com/

Clannad ****<3

Yoo!!! Depois de decadas sem postagens eis me aqui para falar de minha obra favorita, Clannad. No meu vasto “currículo” de animes não houve outro que me cativou tanto quanto essa, já assisti e reassisti tantas vezes que perdi a conta, digamos que eu saiba cada fala com precisão principalmente do primeiro episodio.

Clannad é uma adaptação de visual novel da produtora Key, e como de costume em adaptações é dividida em arcos.
Okazaki Tomoya é um Yankee (delinquente) que vive se metendo em confusão e matando aulas, ele ficou dessa forma depois de sua mãe morrer e seu pai se entregar as bebibas, chegando a tal ponto que ele e o próprio pai não se considerarem mais membros da própria família.

Um dia a caminho da escola ele encontra uma garota falando sozinha e em um desses monólogos Okazaki responde a uma das perguntas, ele então conhece Furukawa Nagisa (minha santa deusa da fofura), uma garota introvertida com dificuldade de fazer amigos e com o objetivo de reabrir o clube de teatro para interpretar uma peça de uma historia que ouviu a tempos. Pra surpresa dele mesmo, decide ajuda-la mesmo não tendo afinidade com trabalhos em grupo ou clubes.

Como disse antes o anime se divide em arcos então é obvio que ao longo da historia somos apresentados ao resto dos personagens, em sua maioria personagens femininas mas com personalidades bem únicas.
Começamos com Sunohara, melhor amigo de Okazaki e ocasionalmente perturbado por todos, posso dizer com toda certeza que as melhores risadas do anime são provocadas por ele; temos então as gêmeas Kyo e Ryo, Kyo a mais velha pronta pra acabar com a raça de qualquer um que se aproxime da irmã que por sua vez é totalmente oposta sendo calma e tímida (como dito no próprio anime “A brutamontes e o hamster”); Kotomi a estranha gênio em uma busca por terminar a pesquisa dos pais; Tomoyo como Kyo uma verdadeira brutamontes conhecida por acabar com gangues inteiras na cidade e finalmente Ibiki Fuko a misteriosa garota quês esculpi estrelas do mar (sim!! estrelas do mar).

A historia e seu desenvolvimento é ótimo, concordo que alguns arcos mereciam melhor atenção e outros um pouco menos, mas isso não deixa o charme e principalmente o carisma de Clannad cair em nenhum momento.
Não sei se deveria cita-lo mas em alguns episódios em sua parte inicial é nos apresentado uma historia paralela onde é contada a vida de uma única garota em um mundo que se acabou, sendo ela o ultimo ser em todo o mundo (ou quase), vale ressaltar que essa é a mesma historia que nossa heroína Nagisa quer interpretar em seu teatro, digo mais para os que pretendem assistir Clannad recomendo dar atenção a essa historia pois se torna de grande importância mesmo não parecendo (isso alem da historia ser no mínimo intrigante)
Quando ao design, como na maioria das obras produzidas pela Kyoto Animation, Clannad não falha em nada tanto nos personagens quanto no jogo de cores em cada episodio que é de se encher os olhos.
A trilha sonora mesmo simplista acredito ser perfeitamente apropriada para todo o clima do anime, com destaque para o encerramento que é infantil, simples, mas impressionantemente cativante.
Como eu disse Clannad é minha obra favorita por esse motivo eu recomendo muito tanto ela quanto outras obras/adaptações da Key(Air e Kanon) que merecem o mesmo mérito.
A Biglobe montou um rankin onde cerca de 7000 japoneses votaram nos animes que pela sua importância qualquer otaku deve ver ao longo da sua vida. Segue Link para noticas
http://www.otakupt.com/anime/top-animes-imperdiveis/